25/03/15

Facebook está testando identificador de chamadas inteligente para Android.

Enquanto todo o mundo espera a liberação das chamadas de voz no WhatsApp, o Facebook trabalha em um outro software voltado para as ligações, só que dessa vez ligado à própria rede social. Pelo menos é o que mostram imagens vazadas no fim de semana. Nelas, é possível ver o app do Facebook para Android sugerindo a instalação do Phone, uma espécie de identificador de chamadas inteligente.
Ele seria capaz de vincular os dados de uma chamada ao perfil do utilizador no Facebook, além de reconhecer, também por meio de seus sistemas e também pelo histórico do próprio celular, quem são os números indesejados que precisam ser bloqueados.

Facebook Phone

Rumores indicam que o Facebook pode estar aplicando uma ideia de “group think” ao aplicativo. Com a integração à rede social, como normalmente acontece, o app seria capaz de agregar informações sobre os números comumente bloqueados pelos usuários, passando a criar uma espécie de lista negra que inclui, por exemplo, empresas de telemarketing ou números que realizam trotes ou golpes telefônicos.
Assim, aos moldes de outras soluções como a Whoscall, por exemplo, o usuário poderia receber informações até mesmo sobre um número desconhecido, decidindo antes mesmo de atender se aquela ligação vale a pena ou não. O mesmo valeria para outros usuários do Facebook, já que não dá para saber se a integração com a rede social incluiria apenas os amigos da pessoa que está recebendo a chamada ou todos os que possuem perfil com a informação de número de telefone preenchida.
O ruim é que não dá para saber de nada disso já que, apesar das informações sobre o Phone terem aparecido para uma série de usuários durante o final de semana, nenhum deles pode realizar o download. Isso se deve ao fato do app ainda estar em versão de testes e, como a imagem acima indica, é restrito apenas a usuários do próprio Facebook.
Apesar de tudo ainda estar um tanto quanto incerto, a companhia confirmou a existência da aplicação, mas não deu detalhe algum sobre seu funcionamento. Como se trata de uma opção que substitui funções básicas do smartphone, é bem possível que o Phone acabe ficando restrito ao Android, uma vez que a Apple possui fortes restrições quanto a softwares que tentam substituir funcionalidades centrais de seus dispositivos.